Sinteam

Sindicato dos Trabalhadores em Educação do Estado do Amazonas

Professores de Tefé cobram prefeito sobre direitos da categoria

20/11/2018 03:27
Imprimir email

Professores, técnicos administrativos, auxiliares de serviços gerais, merendeiras e vigias de escolas municipais de Tefé realizaram uma manifestação na cidade no último dia 16 como forma de repudiar as declarações do prefeito Normando Bessa, que numa entrevista a um programa da rádio rural de Tefé, no dia 10 de novembro, criticou as cobranças feitas pela categoria.  

Na ocasião, Bessa disse que os professores “precisam se despir de vaidades, calçar sandálias havaianas e parar de fazer cobranças do Poder Público Municipal”.

Ele se referia às cobranças que a delegacia sindical do Sinteam faz sobre a retirada da gratificação de 20% dos professores da zona rural, a falta de cumprimento da data base há dois anos, a falta do pagamento do 1/3 de férias, além da falta de materiais básicos nas escolas.

A delegada sindical de Tefé, Sônia Solart, afirma que os professores usam seus salários para não deixar faltar tais itens para as aulas. “Questionamos sobre os R$ 33 milhões recebidos do Fundeb até outubro, mas acho que ele não gostou”, disse.

“Já tentamos conversar, mas ele não nos recebe. O conselho de acompanhamento do Fundeb está nas mãos dele (do prefeito). Não existe transparência. Não tem dinheiro para os nossos direitos, mas teve para pagar cantor em feste no valor de R$ 500 mil”, afirmou Sônia.

Segundo ela, os problemas já foram informados ao Ministério Público Estadual.

O presidente do Sinteam, Marcus Libório, afirmou que os prefeitos se comportam com bastante autoridade perante a categoria nos municípios do interior. “Eles acreditam que estão acima da lei e que nada vai acontecer, mas isso já mudou há algum tempo e o sindicato tem papel fundamental nesse processo”, declarou. 



Pesquisa pelo site

Pesquisar

Newsletter

Cadastre-se e receba novidades no seu e-mail!

Cadastre seu e-mail